Agende por Whatsapp: +11 96917-0390

Jejum é o período em que não é ingerido nenhum tipo de alimento com base calórica; e intermitente significa que o jejum não ocorre de maneira contínua, mas sim por um tempo determinado. Então, a prática do jejum intermitente consiste, basicamente, em alternar períodos sem comer com períodos em que você irá comer.

Geralmente, este período de tempo em jejum pode ser por 12 horas ou mais, dependendo do tipo de jejum realizado.

Existem diversos tipos de jejum intermitente, sendo os principais e mais conhecidos listados abaixo:

  • 16 horas por 8 horas: permanece-se em jejum por 16 horas e consomem-se alimentos por 8 horas ao logo do dia, podendo ser em longas refeições ou pequenas refeições.
  • 20 horas por 4 horas: pode-se fazer uma refeição longa ou duas refeições curtas ao longo das 4 horas.
  • 24 horas: realiza-se apenas uma refeição ao dia.

Alguns dos benefícios que o jejum intermitente apresenta para quem o adota seriam:

1. A vantagem de comer menos e, consequentemente, menores quantidades calóricas ao longo das 24 horas.

2. Maior perda de gordura e, consequentemente, maior facilidade para emagrecer. Muitas pessoas que escolhem fazer o jejum intermitente buscam emagrecimento. De fato ele contribui para a perda de peso, mas um dos principais benefícios seria a perda de gordura corporal. Jejuar pode acelerar o metabolismo.

3. Jejuar pode melhorar a sensibilidade à insulina e diminuir os níveis de glicose no sangue. Estudos apontam que o simples ato de praticar o jejum intermitente em 12 horas poderia contribuir para melhorar os níveis de glicemia em indivíduos portadores de Diabetes tipo 2.

 

O jejum intermitente pode ser seguido por qualquer pessoa?

Uma dúvida importante que as pessoas costumam ter quando o assunto é jejum é sobre quem pode e quem não pode jejuar.

A resposta direta seria: qualquer adulto saudável pode iniciar o jejum intermitente desde que seja acompanhado por um médico ou um nutricionista.

Caso a pessoa possua alguma doença preexistente como Diabetes ou Hipertensão, ou faça uso de medicações controladas, o jejum intermitente pode não ser uma boa opção e torna-se ainda mais importante conversar com seu médico antes de adotar esse estilo alimentar.

Além disso, há grupos específicos nos quais o jejum intermitente não é indicado; são eles: idosos, crianças, gestantes e lactantes.

Qualquer pessoa que decida fazer o jejum intermitente deve fazer um acompanhamento nutricional adequado, inclusive para uma orientação sobre os alimentos a serem consumidos nas horas de interrupção do jejum, para que não haja deficiências de macro e/ou micronutrientes. Afinal, boas escolhas alimentares refletem no bom funcionamento do organismo.

Busque um profissional da saúde para que te oriente no seguimento do jejum e nas suas melhores escolhas alimentares.

Gabriela Castro – Nutricionista – CRN3 51765P

 (Este texto foi escrito pela Nutricionista Gabriela Castro, colaboradora do Blog, cujas informações estão abaixo).

 

 

Currículo da Gabriela Castro – Nutricionista

 

 

Leia também:

COVID-19

COVID-19

Tenho recebido muitas mensagens de pessoas queridas preocupadas comigo, por ser médica, frente a esse momento em que estamos vivendo, e prestando solidariedade aos médicos e outros profissionais de saúde de forma geral. Não há nada que eu diga que consiga demonstrar...

A importância dos sais minerais na alimentação

A importância dos sais minerais na alimentação

Você já ouviu a famosa frase: VOCÊ É AQUILO QUE VOCÊ COME? Essa afirmação é muito real e mostra com clareza a importância dos alimentos na nossa saúde. Uma alimentação mal balanceada, rica em carboidratos e gorduras (ruins) pode provocar inúmeros problemas de saúde....

Alimentação e Diabetes tipo 1

Alimentação e Diabetes tipo 1

  O diabetes tipo I é uma doença crônica que acontece, com maior frequência, na infância ou na adolescência. No diabetes tipo I ocorre uma falha no pâncreas e ele para sua produção de insulina. A insulina, por sua vez, é o hormônio responsável por transportar a...

Deficiência de iodo

Deficiência de iodo

O sal é iodado no Brasil. Em virtude desse fato, nosso consumo diário de iodo costuma estar dentro das metas preconizadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS): 90 mcg por dia para crianças de até 5 anos;120 mcg por dia para crianças entre 6 e 12 anos;150 mcg por...